segunda-feira, setembro 04, 2006

748. O Estado português mentiroso. Ou aldrabão?


Determinado cidadão contribuinte fiscal, prenhe de boa fé, apresentou a sua declaração de IRS relativa ao ano de 2005.

Recebeu da DGCI, através de consulta online, a informação de que a declaração fora aceite em 21 de Abril de 2006, como se vê do documento que segue, no qual se consigna que o reembolso será emitido até 31 de Agosto de 2006 (deve esclarecer-se que, semelhantemente ao que sempre aconteceu, quando a DGCI diz que será emitido até determinada data, o significado é que, nos casos online, o recebimento efectivo será na data assinalada, ou seja, neste caso, 31 Agosto 2006):

Mas recebeu mais, o tal contribuinte. Recebeu uma declaração detalhada, na qual o Estado - o da sem vergonhice - reitera que o reembolso será emitido até 31 Agosto 2006. Como se pode conferir, mediante click na imagem abaixo:


Ora, como é de boas contas e está habituado a trabalhar com gente cumpridora da sua palavra, o pobre do contribuinte - que casou uma filha em 1 de Setembro passado - assumiu uma série de compromissos que supôs facilmente poder respeitar, sem problemas, uma vez que o reembolso a haver do aldrabão Estado é muito substancial e, vindo a 31 de Agosto, a 1 de Setembro estaria em seu poder, para pagar atempadamente.

E aqui entra a mentira do Estado ou seja o Estado aldrabão. Ou, no melhor dos casos, entra alguém que mente pelo Estado, alguém que leva o Estado a aldrabar o contribuinte sério e cumpridor.

É que o dito Estado, ou quem o representa de forma abusiva, sem honra nem vergonha, não cumpriu ainda - 4 dias que são passados do prazo limite - o compromisso que livremente assumiu. Nem tão pouco apresenta desculpas pelo incumprimento, não sente a necessidade - ao menos de cortesia elementar - de se justificar pelo desrepeito pela palavra dada.

Estado descarado, Estado aldrabão, Estado sem pingo de vergonha no focinho.

E o esforçado e sério, honesto e cumpridor cidadão contribuinte, que paga mensalmente ao Estado verdadeiras fortunas, lá se viu obrigado a contrair um empréstimo para solver os tais compromissos que assumira, de boa fé, esperançado na inexistente boa fé estatal.

Pagou, sim, pois, já que não é caloteiro, não é como o Estado sem vergonha. Mas está duplamente desfalcado. Do dinheiro que o Estado desonradamente lhe deve e daquele que, pelo incumprimento estatal, teve que pedir emprestado para cumprir a palavra que dera, fiado em quem não tem palavra. Mais os juros que terá que pagar religiosamente, pelo crédito pessoal que teve que pedir, pelo facto de o Estado ser arrogantemente caloteiro e malcriado. E sem pingo de vergonha naquela cara de parvo que ostenta.

Miséria a que chegámos, em que o Estado aldraba os contribuintes de forma ainda mais capciosa e miserável do que certos personagens que circulam aí pelas feiras, vendendo mulas purulentas como se de cavalos puro sangue se tratasse.

É este, pois, o estado a que o Estado chegou. Quem é que pode fiar-se em tal Estado de vergonha, sem vergonha?

E se o contribuinte, que é sério, honesto e cumpridor, perante este ranhoso Estado, procedesse de igual forma para com o patifório Estado?

Como dizem os italianos: porca miseria!

Até aqui, todos os anos, o Estado cumpria - ao menos nos reembolsos - aquilo a que se comprommetia. A partir daqui, nem isso! Isto, não obstante ter aumentado substancialmente os proventos que aufere à custa do incauto cidadão.

Miseráveis mesmo... Que andam a gozar à tripa forra com o dinheiro dos honestos e cumpridores cidadãos. Patifes!

É mais honesto - menos reprovável portanto - ir para a estrada, à noite, assaltar viajantes desprevenidos. Pelo menos sempre correria algum risco. Assim, não. É cobardia infame! E desonestidade. Não apenas intelectual!...

......

11 comentários:

azurara disse...

Olá Ruben!
Há quantas luas...
Olhe, estou na mesmíssima. Nem mais.
Porca miseria!

Sulista disse...

Olá Ruben ;-)

Primeiro que tudo,
muitos Parabêns pelo casório da tua 'filhota'!!

...e os meus pêsames pela
patifaria que te fizeram :-(

Beijinho
Maria João

al cardoso disse...

Caro Ruben:
Felicidades para a sua filha em primeiro lugar, em segundo so posso concordar consigo, mas veja que ainda ha gente que defende esses tipos e lhes de apoio, parece que de acordo com as estatisticas continuam em alta.

"Porca miseria", esta mais que bem dito.

Um abraco serrano.

Ruvasa disse...

Viva, Agnelo!

É bem verdade, há quantas luas...
Sabe?, andei a ver se esquecia a triste condição que nos manieta, com gente desta na garupa do poder.

Cheguei mesmo a pensar que o melhor seria adormecer e esperar que passe. O pior é que não passa, pois que, quando estes saírem, os substitutos não serão melhores. Afinal, não foram "eles", todos "eles" que, em trinta anos, nos trouxeram a esta vileza?

De modo que achei que nem valia a pena gastar o teclado com tais ruins defuntos...

Mas há dias... há sempre uns dias, em que a gente se passa e... não consegue ficar calado, porra!

Vai daí...

Aldrabões sem nível.

Abraço

Ruben

Ruvasa disse...

Viva, Maria João!

O que me valeu é que lá vou metendo uns funditos de parte, sempre que posso e, além disso, como não sou como o Estado cretino, liderado por cretinos piores, lá vou conseguindo ter crédito na praça.

De qualquer modo, vou ter que pagar juros.

E isto apenas porque o Estado aldrabão não me reembolsa de dinheiro que é meu, sempre foi meu e ele retém abusivamente - enriquecendo sem causa e à minha custa -, em montante suficientemente alto para que eu pudesse pagar tudo o que precisava de pagar pelo casamento e outras coisitas, ainda me sobrando uns trocos para ajuda do pagamento de férias na China e outros sítios onde a gente possa esquecer estes tratantes sem vergonha no focinho.

Beijinho

Ruben

Ruvasa disse...

Viva, Maria João!

Ando tão cego com esta patifaria e falta de vergonhice do Estado trafulha, vê lá tu!, que até me esqueci de te agradecer os parabéns, pela filha que casou.

Como, dos três, só me falta um, o mais novo, espero que o Estado seja, na altura, mais sério e menos mentiroso e "extremadurenho de carroça e cão", sem ofensa para ninguém...

Rebeijinho

Ruben

Ruvasa disse...

Viva, Al Cardoso!

Obrigado pelos parabéns.

Olhe, nesta altura está ela bem melhor do que eu, lá pelos Índicos, de lombos ao sol...

E eu aqui a vituperar as trafulhices estatais. A vida é mesmo assim...

Deixe estar, que as pessoas hão-de cansar-se e, melhor do que isso, abrir os olhos. O que eu temo, sinceramente temo, é que, ao abrirem os olhitos, deparem com outros iguais ou muito semelhantes e... se espalhem novamente.

"Isto" não tem conserto. Só fechando a loja e abrindo ao lado, noutro ramo de actividade e com gerência e clientes todos renovados.

Abraço de um vencido (não da vida, mas das finanças deste reino de trampa)

Ruben

Sulista disse...

Olá again Ruben!

...férias na China, hein?

:-) fico contente por ti!
Depois conta-me, mostra as fotos...já sabes, adoro ver!

Rebeijinho do beijinho anterior ;-)
MAria João

motormotor disse...

Alguém terá???Alguém terá???

José Miguel Marques disse...

espero sinceramente que já tenha recebido aquilo a que tem direito, mas olhe não foi o único, no meu caso também recebi com vários dias de atraso e eles colocaram no site da DGCI este lindo aviso (que não se cumpriu):
"AVISO

Relativamente aos reembolsos emitidos em 31.08.2006, informa-se:

i. No caso de pagamento dos reembolsos por transferência bancária, os mesmos serão creditados nas contas entre 48 e 72 horas após a data de emissão;
ii. Quanto aos reembolsos pagos por cheque, a respectiva recepção pelo contribuinte está dependente da entrega por correio, sendo que o prazo médio normal é de cerca de 1 semana após a data da emissão. "

Ruvasa disse...

Viva, José Miguel Marques!

Sim, efectivamente já recebi. No entanto, com mais de uma semana de atraso - deveria ter recebido em 31 Agosto, já que foi por depósito directo na conta, coisa que se faz no próprio dia (basta que, pelo menos,. se agende...).

O que é certo é que tive que valer-me de um crédito pessoal junto da banca, de que estou a pagar juros.

Repito: este Estado é mentiroso, aldrabão, mau pagador e faz negócios ao estilo de quem vende na feira de Carcavelos.

Abraço

Ruben