sexta-feira, setembro 16, 2005

548. A eternidade do autarca...

Um presidente de Câmara foi atropelado e morreu. A alma chega ao Paraíso e dá de caras com S. Pedro.

- Bem-vindo ao Paraíso! - diz este, à laia de recepção amigável -
Antes de que você entre, há um problemazito que temos que resolver. Raramente vemos políticos por aqui, pelo que não sabemos bem o que fazer consigo.

- Sinceramente, não vejo onde esteja o problema… - responde o autarca - é só deixar-me entrar e pronto…

-
Bem gostaria que assim fosse, mas tenho ordens superiores. Olhe, vamos fazer o seguinte: você passa um dia no Inferno e um dia no Paraíso. Depois, conhecendo um e outro, escolhe onde terá que passar a eternidade.

- Não é preciso tanto incómodo! – replica o edil -
Já resolvi. Quero ficar no Paraíso.

-
Peço desculpa pela insistência, mas temos as nossas regras, sabe?

-
Bem, se tem mesmo que ser…

Deste modo, S. Pedro acompanha-o até o elevador e ele desce até ao Inferno.

A porta abre-se e vê-se no meio de um lindo campo de golfe. Ao fundo, o clube onde estão todos os seus amigos e outros políticos com que havia trabalhado. Todos muito felizes.

O recém-chegado é muito cumprimentado, abraçado e inicia-se uma boa cavaqueira sobre os bons tempos em que tinham enriquecido sem causa, que é como quem diz à custa do erário dos munícipes.

Jogam uma partida descontraída e depois comem lagosta e caviar. Quem também está presente é o Diabo, extremamente amigável, que passa o tempo a divertir todos com as belas piadas que conta.

Todos se divertem tanto que, antes de que o nosso amigo perceba, já é hora de ir-se embora. Despedem-se com abraços e acenam enquanto o elevador sobe. Chegado cá acima, tem S. Pedro à sua espera.

- Agora, tem que visitar o Paraíso – diz-lhe.

E, assim se fez. O nosso autarca passa 24 horas junto de um grupo de almas contentes que andam de nuvem em nuvem, tocando harpas e cantando. Tudo vai muito bem e, num ai, o dia acaba e S. Pedro retorna.

- Então? Você passou um dia no Inferno e um dia no Paraíso. Está na hora de escolher a sua morada eterna – diz para o radiante autarca..

Este pensa um minuto e responde:

- Caramba! Nunca pensei... O Paraíso é muito bom, sem dúvida, mas acho que vou ficar melhor no Inferno.

Então S. Pedro leva-o de volta ao elevador que conduz o felizardo até ao Inferno. Chegado lá, a porta abre-se e ele vê-se no meio de um enorme terreno baldio, cheio de lixo. E nota que todos os amigos, com as roupas rasgadas e sujas, remexem o entulho e apanham coisas que vão metendo em sacos pretos.

O diabo vai ao encontro do herói da nossa história e passa-lhe o braço pelo ombro.

- Não estou a perceber… - gagueja o infeliz, já roxo de ansiedade e preocupação – Ontem, estive aqui... havia um campo de golfe, um clube, lagosta, caviar, dancei e diverti-me imenso com os meus confrades. Agora, porém, só vejo este monte de lixo e os meus amigos pelas ruas da amargura!...

O diabo sorri e diz:

-
Pois é, amigo, é que ontem estávamos em campanha...
...


piada que circula por aí...

7 comentários:

JMTeles da Silva disse...

Riso amarelo, caro Ruben, riso amarelo. Um abraço.

Ruvasa disse...

Viva!

E bem amarelo. Cada vez mais...

abraço

Ruben

Sulista disse...

Achei engraçado o toque final «amaciado» que deste à piada...eu tb a recebi e nãn terminava bem assim ;-)

Beijinhos pó amigo Ruben

Ruvasa disse...

Viva, Sulista!

Claro. É o toque de classe!... ;-)

Beijinho

Ruben

Menina_marota disse...

Pois é... ninguém ensinou estes senhores que mentir e enganar os outros, é muito feio...

Um abraço e boa semana :)

lazuli disse...

não conhecia, fiquei na expectativa até ao fim. Não é bem como um livro policial, onde se vai conhecendo as personagens da trama, e o mau da fita acaba por ser o mais insuspeito.
Aqui já se sabe quem é, só está encoberto pelo manto diáfano da fantasia...

Ruvasa disse...

Viva, Fernanda!

...da fantasia e do amaciamento, para não ferir susceptibilidades...

Bj

Ruben