sexta-feira, novembro 11, 2005

597 Tradicionalmente... a falta de "cojones"

Entrevistado na TVI, dias atrás, logo a seguir ao Jornal das 20, por Constança Cunha e Sá, o candidato à presidência da república, Manuel Alegre de seu nome, poeta de vocação, político por acidente, disse algumas coisas interessantes, deixou por dizer outras que talvez fossem interessantes e exercitou a sua costela de lusa intriga e circunlóquio infecundo, sem frontalidade.

Não cuidemos aqui do que disse; tão pouco do que não disse. Cuidemos, isso sim, do que, não dizendo, disse, ou dizendo, não disse. E que foi que o homem – que aspira a ser presidente desta república de gente que teme a frontalidade mais do que a Belzebu, ele mesmo, escrito e escarrado – disse que não disse, mas não dizendo disse?......SEGUE

...

1 comentário:

Sulista disse...

Viva amigo Ruben !

...realmente, «c’um escanfandro, pá!» ...mas sabes que de facto, as coisas na política nã são bem assim...

Beijinho Grande :-)

Maria João Lopes