sexta-feira, fevereiro 24, 2006

673. Se Deus não nos acode…






Um para o outro ?
Bem, muito bem...



Na Assembleia - da República das Bananas - que temos, foi abordada hoje, entre outras e en passant, a questão do já celebérrimo CSI, ou seja, Complemento Solidário para Idosos.

Falou o noss’primêro que dissertou realmente sobre coisa nenhuma, comme d’habitude, e seraficamente sobre o tal de CSI, verdadeiro crime sem investigação.

Conseguiu, imagine-se! – qual prestidigitador de Quadrazais de Cima… mas só à vinda para baixo, que à ida já ninguém o ouve… – descobrir méritos inescrutáveis em tal esmola dada/não dada aos velhinhos de 80 e mais anos, parcos em recursos económicos, mas fartos em literacia e alta instrução.

Disse coisas espantosas como estas:

1. que a medida é um excelente sinal das preocupações do Governo com os mais desprotegidos;

2. que está a ser um enorme sucesso, tanto mais que já entraram 2.000 (!!!!) processos em todo o país (só por gozo é que o homem se pode ter saído com tal…)
...
3. que, em face de tão desmedido sucesso, irá encurtar o prazo de aplicação da medida, ou seja, previa-se que, para o ano, além dos idosos de 80 e mais anos, passassem a ser contemplados também os idosos de mais de 75 anos e, assim sucessivamente, até ao final da legislatura; ora, o tal sucesso sucedido sucessivamente sem cessar levara o governo e o noss’primêro a decidir que, para o ano, entrarão não só os de 75 anos, como também os de 70.

Não sei se o leitor está a reparar em várias coisas curiosíssimas e que de imediato saltam à vista de qualquer pessoa com dedo e meio de testa:

a) Existirem “já” 2.000 processos entrados, vindos de “todo o país” revela duas coisas, em alternativa: ou não há velhotes de mais de 80 anos ou os que há não estão em condições de concorrer ao excelso “apoio”, por razões várias, entre as quais a famigerada cláusula que põe pais contra filhos e vice-versa (provavelmente nem o ditador mais ditatorial de que há memória se lembraria de tal medida de esperteza... mui esperta) que o noss'primêro e grande educador dos filhos deste país, além de excelso ofensor da dignidade dos velhotes portugueses fez inscrever na lei;

b) 2.000 em todo o país é um número risível e se o noss’primêro tivesse a noção do ridículo nem o daria a conhecer - está visto que não tem mesmo…;
...
c) Aquilo que o noss’primêro diz, para vincar tratar-se de um sucesso, ou seja, o de ir, no próximo ano, estender o benefício aos idosos de 70 anos e não apenas, como estava previsto, aos de 75 anos, só prova que, contrariamente ao que jura - sabe-se que, por via de regra, quanto mais se jura mais se mente -, não está a ser sucesso algum, mas, muito pelo contrário, um estrondoso fracasso, como era de esperar e, em devido tempo, se assinalou neste blog. A menos que o sucesso a que se refere o noss’primêro seja esse mesmo, isto é, tomar uma medida altamente lucrativa sob o ponto de vista demagógico, sem gastar tuste, que é o que ressalta de tudo isto.

Mais haveria para desmontar no discurso de S.Exa. Fiquemos, porém por aqui. Ocasiões não hão-de faltar.

* * *

Acabava o noss’primêro e grande educador dos filhos deste país de botar faladura e de sentar-se, eis senão quando, de supetão, cheio de ímpeto, se levantou o noss’segundo e, quando se esperava que apontasse, ao menos, algum dos pontos acima indicados e mais uns quantos, como lhe cabia que fizesse, eis que, perfilado como convém, se limita a interpelar o noss’primêro quanto ao inconveniente da grande burocracia a que o processo obriga.

Palavras para quê? Trata-se do político português, soi-disant chefe da Oposição, em plena idade do vigor político e da determinação pessoal... Estamos, pois, esclarecidos!

Aqui ao lado, alguém nos segreda que ele é capaz de fazer melhor, bem melhor mas que se ficou por "aquilo", por razões aduzidas na Travessa do Possolo, ali à Estrela, que lhe foram ditadas ontem, pela noitinha, quando a correr foi receber instruções.

Deus nos valha,
porque se Deus não nos acode,
ainda uma mão cheia de nós se… trama!

3 comentários:

azurara disse...

Olá Ruben

Também ouvi os eruditos educadores.
E deixe que lhe diga: 2.000 (dois mil) candidatos é obra! Há 2.000 octogenários cheios de genica em Portugal. Fabuloso score!! Um número que diz bem da vitalidade dos nossos octogenários, logo dos cuidados que lhe têm sido prestados pela sociedade, Estado incluído. Um êxito retumbante.

Mas a história da burocracia não foi mal metida, não senhor. 7 impressos!!! Porra!!!

Ruvasa disse...

Viva, Azurara!

Essa dos impressos veio ele buscar aqui ao blog.

Se assim não fosse, nem essa saía.

E não pense que não vem. Ele e outros. Um dia ainda aqui faço uma listazinha.

Aliás, é bem sabido que muitos políticos e jornalistas vêm à blogosfera buscar ideias para usarem como "originais" seus.

Com o que só mostram algum senso. O pior acontece, porém, quando não sabem copiar ou mesmo não conseguem captar a ideia expressa. Aí, então, é quase a história do tradutore... traditore.

Abraço

Ruben

Ruvasa disse...

Ora viva meu bom amigo
Se Deus não nos acode, nem para os comprimidos vai chegar a pensão dos
velhotes. Isto está feito para que não se atribua muitas melhorias nas
pequenas pensões que os velhotes recebem e não acredites em tudo o que
ouvires dos políticos.

(a) A.Alves