sábado, janeiro 21, 2006

650. Reflectir em quê?

Passo o ano a reflectir e cada vez mais me convenço de que o problema da falta de reflexão não está em mim, mas sim neles.

Estou farto de reflectir!

Porra que anda tudo trocado!

De que me serve reflectir se eles - que seria quem mais o deveria fazer e dessa sua reflexão tirar as necessárias e decentes conclusões e consequências - não o fazem, se dispensam de o fazer?

Reflectir mais, eu?

Isso era o que os maganos queriam. Porque é assim que nos têm levado ao redil que mais lhes convém... mas que, simultaneamente, é o caminho que menos nos convém a nós.

Fuck'em!

Que vão reflectir lá para a raiz da...

Não reflicto mais! Hom'essa!...
...

4 comentários:

Eduardo Leal disse...

O Fado...
Também gosto desta música, que é bem anti-fado.
No sentido em que vale a pena querer ser feliz.
Hoje é dia de acção!
A reflexão foi ontem e agora vamos roer as unhas e acreditar... cada um nos seus sonhos, na sua vontade de ser feliz...

lazuli disse...

meu amigo..
estranha vida esta, e no entanto é a única que temos.
E o país que temos, somos nós, essa lusitana paixão.
Ou não.

Um beijo

fernanda g.

Ruvasa disse...

Viva, Eduardo!

Na verdade, só nos resta acreditar. Globalmente, só nos resta acreditar, ainda que com esforço.

Individualmente, apenas tenho um sonho para o nosso País:

que consigamos assumir a necessária responsabilidade em todos os actos da nossa vida colectiva.

Porque esta postura emoliente que tudo desresponsabiliza assassina mais uns quantos de nós, a cada dia que passa.

Abraço

Ruben

Ruvasa disse...

Viva, Fernanda!

Estranha mesmo, amiga!

A lusitana paixão, essa não morre.

E por muito que nos rebelemos contra o que somos, outros não quereríamos ser.

Podemos - e temos o dever de ser, isso sim - melhores. Pelo menos mais responsáveis.

Outro para ti

Ruben