domingo, abril 17, 2005

316. O Adelino cansou-se da vida

Circunstâncias pouco felizes de âmbito familiar - morte súbita de meu cunhado, ocorrida em 14 do corrente, pelas 13 horas, e tudo o que rodeia sempre estas situações - estiveram na base do meu afastamento do vosso convívio por uns dias.

Passado que está o choque maior, aqui estou novamente, porque... a vida tem que continuar, mesmo para honrar os que se foram.

O Adelino cansou-se da vida extremamente dura que levou, principalmente depois do regresso de África, há cerca de 30 anos, onde deixou uma vida sem luxos, mas razoável, que trocou por verdadeira escravidão por cá. Um ano após reforma de miséria, o coração, extenuado, entendeu que era hora de, também ele, se reformar.

Descansa em paz, Adelino. Lembrar-te-emos, acredita.
...

2 comentários:

Elise disse...

Lamento muito o que aconteceu e queria deixar aqui um forte abraço.

Ruvasa disse...

Viva, Elise!

Obrigado, muito obrigado!

Retribuo o abraço de todo o coração.

E vamos em frente.

Ruben