sábado, maio 07, 2005

352. E cá estamos no vira habitual...

Lisboa
Ministro admite dois novos hospitais

O ministro da Saúde, António Correia de Campos, admitiu, esta sexta-feira, a construção de dois hospitais na região da Grande Lisboa caso se justifique «tecnicamente». -> ver notícia
TSF online

* * *

Regressou. Definitivamente regressou o vira guterriano. "Diz, não diz; faz, não faz" é o quotidiano pão nosso.

Agora, Correia de Campos já diz que "Sobre os cinco hospitais em relação aos quais o ministro afirmou recentemente não terem justificação técnica para avançar de imediato - Vila Nova de Gaia, Vila do Conde/Póvoa do Varzim, Guarda, Évora e Hospital Central do Algarve -, (…) a sua construção dependerá de «motivos técnicos».

Diz, depois, que... "O Ministério da Saúde já encomendou «estudos técnicos» para «hierarquizar prioridades» e «contrabalançar o novo investimento com o redimensionamento do existente».

Descodificando: O Ministério já pensou em criar uma comissão que se dedique ao estudo da viabilidade técnica dos projectos que - embora já devidamente estudados, como já foi rornado público - não têm a marca PS, pelo que há que simular a sua aposição neles.

Diz a seguir que… "Depois de conhecidos os resultados destes estudos(1), o Ministério da Saúde abrirá um período de discussão pública(2) e só depois será apresentada à Assembleia da República a proposta de decisão final(3).

Descodificando: Depois de a comissão terminar os estudos, que, aliás, já vêm feitos do antecedente - isto se os acabar, claro! - proceder-se-á à famosíssima ampla discussão, que se prolongará até Setembro de 2009, um mês antes das próximas legislativas.

O governo seguinte, principalmente sendo de outra cor, que trate do assunto que eles, com tantos estudos de estudos, terão ficado extraordinariamente extenuados...

Finalmente... "Contactada pela TSF, fonte do Ministério da Saúde explicou que estes não são novos projectos."

Descodificando: Diz a fonte do Ministério (que é ainda o próprio ministro, mas que não convém dizer-se que é, não vá pôr-se o ministro em mais aflições do que as que já tem... a gente sabe como estes fretes se fazem...) que estes são os projectos que já estavam aprovados pelos governos anteriores.

Claro como água. Por aqui se vê, que já nada há que estudar nem discutir. Apenas fazer... rapidamente fazer.

Dito de outra forma: falta ir aos "finalmente", deixando-se de "entretantos". Ora, aqui é que a porca torce o rabo. Então, o que há que sugerir é que, se não sabe ou não é capaz de fazer, então o melhor será sair de cima e dar lugar a quem se mostre mais dotado.

Mas não sabíamos já que iria ser assim? Claro! Só não está cansado de o saber quem é surdo, cego, esquecido, estúpido ou tem andado por Marte nos últimos 30 anos...
...

10 comentários:

Elise disse...

Eu tento manter um certo optimismo. Espero que as coisas melhorem. Mas é díficil. Aos nossos políticos faltam a responsabilidade e o sentido de união. Tendem a destruir tudo o que não seja obra do seu partido. Até quando?

Um bom fim de semana Ruvasa.

Ruvasa disse...

Viva, Elise!

Optimismo todos temos que ter, seja como for. Caso contrário mais vale desistir de vez.

Mas, como diz, é dífícil. Difícil mesmo!

Bom fim de semana para si também.

Ruben

Anónimo disse...

Aqui Zé Fontinha a apreciar o post e a tentar completar o "diz..não diz...faz..não faz.
Antes da dissolução, Correia de Campos era contra o Hospital. Durante o processo elitoral, no Algarve, já é afinal a favor. Toma posse como ministro, e descobre que era mesmo contra. Será amnésia ou hipocrisia? Mais grave é obrigar Socrates a desmenti-lo por duas vezes. A primeira na Figueira, e a segunda em Portimão. O ministro, desautorizado, assobia para o lado, e... segue em frente. "O tempora,O mores". Bom exemplo de competência e carácter se está dando ao povo português. E não me posso esquecer que Correia de Campos foi apresentado como exemplo da competência do Partido Socialista para a saúde....

Ruvasa disse...

Viva, Ze Fontinha!

E mais estaremos para ver, certamente.

Tem andado desaparecido?

abraço

Ruben

Marga disse...

O ministro da saúde já não tinha ocupado esta pasta no anterior governo socialista?

Nessa época fez ou disse alguma coisa de geito? Portanto temos mais do mesmo, não há que estranhar o disse e o não disse. Para ministro do Sócrates até já está a falar de mais, não terá aprendido isso com o Dr. Santana?

Anónimo disse...

Amigo Ruvasa
Grato por ter notado a minha ausência. Na verdade estive umas semanas na Polónia, Cracóvia, onde me encontrava quando da morte de João Paulo II. Impressionou-me a força mística de um povo, que viveu o acontecimento com a maior intensidade e elevação.Quando tiver o meu próprio blog, voltarei ao assunto, pois sinto que trago muitas vivências enriquecedoras e a obrigação de as partilhar.
Até breve.
Zé Fontinha

azurara disse...

GUTERRES, GUTERRES e mais Guterres.
Estamos tramados!
(mas nós já o sabíamos, os outros é que não)
Azurara

Ruvasa disse...

Viva, amigo Zé Fontinha!

Andou por belos sítios. Não conheço ao vivo, mas apenas de filme e fotos.

Cá fico (ficamos) à espera do seu blog, que já tarda, caramba! Força nisso.

abraço

Ruben

Ruvasa disse...

Viva, Marga!

É isso. Mais do mesmo, com a agravante de agora vir requentado. E com mais arrogância.

Parece que eles pouco aprendem uns com os outros. Sabe, o poder altera as mentes!

Cumprimentos

Ruben

Ruvasa disse...

Viva, Azurara!

Na verdade, já o sabíamos. Tanto assim que certamente não contribuímos para que tivesse surgido esta reprise.

Enfim!...

Abraço

Ruben