quarta-feira, março 02, 2005

220. Mal estar no PSD? Agora? Porquê?

Clima de mal-estar no PSD - As propostas de Santana Lopes, para que o Conselho de Jurisdição do PSD avalie o comportamento dos militantes que atacaram o partido durante a campanha, e de Ribau Esteves, para que Pacheco Pereira seja expulso, poderão até não ter consequência prática, mas é certo o clima de tensão que ambas estão a criar internamente.
(…)

Ribau Esteves, líder do PSD/Aveiro que confirma ter pedido a expulsão de um militante, mas sem o identificar, disse (…) ter proposto "a expulsão de um militante que, aproveitando essa condição, prejudicou diariamente o partido de forma muito grave". E manteve a reserva do nome do visado. Pacheco Pereira não reagiu. Já Guilherme Silva, líder parlamentar, considerou (…) "incompreensíveis" as atitudes de Cavaco Silva na campanha. E confessou ter reagido às mesmas com "algum choque".
Jornal de Notícias - 2005.03.02

Clima de mal-estar? Agora? Porquê?!

Mal-estar houve, sim, antes, diariamente, enquanto o PSD e os respectivos dirigentes, democraticamente eleitos e a cumprir programa democraticamente sufragado, eram atacados sem dó nem piedade em praça pública, depois de o não terem sido nos locais próprios, frontalmente, como mandam a ética e a moral. Que também devem existir em política, principalmente em política.

Quem atacou o PSD era maior e vacinado, não fora declarado mentalmente inimputável, sabendo, portanto, o que estava a fazer e as consequências que daí podiam advir.

É imperioso que o órgão jurisdicional do partido actue e atribua responsabilidades e culpas, que eventualmente venham a ser apuradas, a quem se considerar que as tem. Assim se actua em democracia, em sociedade responsável. Não o fazer, é sinónimo de laxismo e de anarquia.

Esperemos para ver. Mas algo tem que ser feito. Sob pena de o crime compensar. No caso de Pacheco Pereira, o tal que se serve da condição de militante, para, zurzindo no partido e nos seus dirigentes, ir auferindo elevadíssimos rendimentos, então, compensaria de forma absolutamente inadmissível.

Mal estar no PSD? Agora? Apenas se nada for feito!


Ruben Valle Santos
mil 29715

2 comentários:

AJFerrao disse...

Pacheco Pereira e a possibilidade de expulsão do PSD
Este artigo de Pacheco Pereira no DN É o primeiro reflexo de internamente não ter sido apenas um militante a pedir a sua expulsão. Ontem por exemplo no telejornal da TVI vi líderes de 4 grandes distritais do PSD a exigirem o mesmo.
Isto promete.

http://ajferrao.blogspot.com/

Ruvasa disse...

Viva!

É evidente que, aconteça o que acontecer, Pacheco Pereira não vai ser expulso do PSD. No partido já se está habituado a estes desmandos pachequianos. O que é pena.

Que o PSD o não expulse, ainda compreendo. Mais do que laxismo, entendo que se trata de tolerância levada para lá dos limites. Que apenas servem para destruir, se usada em termos irrazoáveis. Porque há situações na vida em que, das duas uma: ou se mata ou se morre. Sem remissão.

O que não é aceitável, de forma nenhuma, é que o referido senhor use a faculdade de ser militante do PSD para ser convidado para "flasbacks", "quadraturas do círculo" e outras similares, onde aufere "cachets", que, tudo o indica, são semanalmente muito elevados, onde se entretém a agredir o partido e os respectivos dirigentes.

É que, se não fosse militante do PSD, não seria convidado. Só o é por ter essa condição. Ainda que informalmente, pois, representa ali o partido.

E, no fim de tudo, não tenha o gesto que se impõe de se demitir do partido, passando, então, a actuar com melhor entenda, a criticar quem quiser.

cumprimentos